Black Friday 2022: como montar a melhor estratégia?

14 de Novembro de 2022

Sete em cada dez brasileiros vão comprar na Black Friday esse ano. O que você tem feito para que o seu negócio seja o escolhido nesse momento? 

Apesar de não ser uma estratégia para todos os negócios, a Black Friday é considerada uma das melhores datas de vendas para muitos comércios ao redor do mundo. Pensando nisso, resolvemos ajudar com dicas para você se preparar para o período da melhor forma e de acordo com o seu nicho. 

Quer montar a melhor estratégia para ganhar o jogo este ano? Acompanhe alguns insights e soluções importantes que podem te ajudar. 

 

Quando é a Black Friday?

A Black Friday vai acontecer no dia 25 de novembro. E, este ano, ela conta com um aspecto importante e que pode mudar toda a jornada dos consumidores: ela vai acontecer ao mesmo tempo que a Copa do Mundo. 

Por isso, a expectativa é que esse evento supere ainda mais expectativas do que no ano passado, que contou com um faturamento que ficou na casa de R$ 5.4 bilhões, aumento esse de quase 6% em comparação a 2020.

 

A Black Friday é realmente uma boa estratégia para os negócios? 

A verdade é que as oportunidades para essa temporada são muitas. Entretanto, nós empreendedores sabemos que nem todos os negócios seguem essa mesma regra. Mas, para o comércio, existem pontos positivos que podem ajudar no aumento em geral das vendas e dos leads: 

1. O CONSUMIDOR ESTÁ AINDA MAIS DISPOSTO A COMPRAR: de acordo com uma pesquisa realizada pela Méliuz, startup brasileira de cupons de desconto, com base nos seus mais de 25 milhões de usuários, cerca de 91% dos brasileiros pretendem fazer compras durante esse período, sendo esse número 20% maior em relação à mesma pesquisa realizada durante 2021. 

Entretanto, com cenários políticos e econômicos exaltados, alguns cuidados são necessários. Isso porque, os consumidores em geral estão vivenciando desafios, mas seguem com o desejo de compra aflorado. 

2. APESAR DE ESTAR DISPOSTO, O CONSUMIDOR ESTÁ MAIS CAUTELOSO: o Google realizou um estudo que visa compreender a jornada do consumidor durante a Black Friday. O primeiro ponto concluído é que, apesar de ter desejo de compra, ele está cada vez pesquisando mais e tendo menos impulso na hora das compras. Além disso, cerca de  70% das pessoas pesquisam produtos ou serviços mais diferenciados e que "combinam". Ou seja, produtos ou serviços cada vez mais personalizados.

3. COMO AS PESSOAS VÃO CONSUMIR DURANTE A BLACK FRIDAY? Como falamos no tópico anterior, mesmo com um período socioeconômico marcado por incertezas, o desejo de compra está em alta. De acordo com Fernanda Bromfman, líder de Commerce em Google Customer Solutions, temos sete territórios mapeados: lazer, ser quem sou, evolução pessoal, recompensa, inteligência, acesso/inclusão e por último o querer/poder. 

Então, cada um desses territórios vai muito além do benefício de comprar. Desses, um deles vale um reforço: o "eu mereço". Ele demonstra que os consumidores tendem a fazer as suas escolhas por acreditarem que é uma bonificação para elas. Por fim, Fernanda conclui que os consumidores têm altas expectativas de que a Black Friday contará com bons descontos.

 

A Black Friday como um funil de vendas:

Um funil de vendas, ampulheta ou até mesmo os loops de growth do seu negócio - como você preferir chamar - podem ser divididos em 5 partes principais: 

➜ Atenção

➜ Engajamento

➜ Vendas

➜ Produto/serviço

➜ CS

Dessa forma, assim como qualquer outra estratégia, é preciso avaliar as etapas e compreender como levar os consumidores a adquirirem os seus produtos ou serviços a partir dessas etapas. Portanto, a sua estratégia deve visar todas essas fases, sempre tendo em mente que a atenção e o engajamento já começaram na fase que antecede o dia da Black Friday. 

Dicas de preparo para o período antes, durante e depois da Black:

 

1. TRABALHE ESTRATÉGIAS MULTICANAIS: não seja NUNCA refém do tráfego pago. Estude canais alternativos e engaje o seu público nesses canais antes de começar a anunciar. Quem gerencia grandes contas sabe o impacto que as alterações em massa no custo por etapa ou o reforço da política de anúncios de canais principais pode causar. 

Além disso, não dependa nunca de um único canal, principalmente quando falamos de tráfego pago. A tendência dos gerenciadores é mudar pelo menos um pouco a sua lógica de entrega de anúncios, ficando cada vez mais atentos à política de anúncios (ou seja, é possível que os anúncios sejam bloqueados com mais facilidade para avaliarem se você descumpriu alguma regra ou não). Sem contar que, principalmente nesse período, você vai dividir a atenção do público com muito mais empresas. 

2. EVITE O BLOQUEIO DE ANÚNCIOS: tente evitar o bloqueio de anúncios, principalmente se você faz parte de nichos como estética e saúde, pois a revisão da política de anúncios fica ainda mais acirrada durante esse período.

3. CUIDADO COM AS SUAS PÁGINAS DE DESTINO: páginas que pegam o pixel do seu lead fazem com que ele receba ofertas dos concorrentes. Portanto, tente cuidar também se tudo está voltado para a conversão e se isso não vai desviar a atenção do seu lead.

4. ASSOCIE AS SUAS ESTRATÉGIAS DE GROWTH COM O TIME DE VENDAS: trabalhe sempre a estratégia de vendas e engagement associada a qualquer outra estratégia. Seu time de vendas precisa estar ciente das estratégias de growth e de marketing para atender os leads de forma coerente. Hoje, existem ferramentas que alertam você do engajamento dos seus leads, para que você os aborde no momento exato em que eles engajam com o seu negócio. 

Nesse momento, é fundamental prestar suporte, auxiliar em dificuldades com pagamentos e, por consequência, reduzir a chance dessa venda cair. Pense na lógica do balde furado e evite que isso aconteça com seu funil de vendas.

5. A AGILIDADE É MUITO IMPORTANTE: nada vai adiantar você ter uma estratégia incrível de atenção e aquisição se você demorar para atender cada levantada de mão. Nossos estudos mostram que o tempo ideal para manter o lead realmente quente é de até 8 minutos. Depois desse tempo, você tende a perder para você mesmo.

6. ANALISE OS DADOS: a previsibilidade é uma das formas mais eficazes de compreender o que podemos esperar de um evento desse porte. Para isso, é importante analisar os hábitos dos consumidores e uma série de outros indicadores relevantes para as suas vendas.

Pensando nisso, um BI e uma cultura de análise e de testes podem te diferenciar. Afinal, não é qualquer negócio que pode se beneficiar da Black Friday.

 

Afinal, será que a Black Friday é para o seu negócio?

É preciso entender que, apesar de ser benéfica para muitas empresas, não necessariamente a Black Friday é uma boa sacada para as SUAS vendas. 

Um ponto chave em relação a isso é que cada negócio pode ter uma estratégia completamente diferente um do outro. Por exemplo, nem todo tipo de negócio vai reagir bem a descontos. Por isso, analisar os dados dos últimos anos é uma excelente ferramenta para te guiar nesse fim de ano.

Estratégias de Black Friday não são necessariamente estratégias de desconto. Inclusive, empresas que precisam utilizar o marketing de diferenciação, como o mercado de luxo, não combinam com essa proposta. 

Então, busque compreender o seu mercado, os seus consumidores, os seus concorrentes e o seu nicho de mercado. Eles provavelmente vão revelar mais informações do que você imagina sobre o caminho a seguir. 

 

Growth Hacking e Black Friday: como unir forças para vender mais?

Depois da leitura desse artigo, você deve ter percebido que existem diversas soluções para lidar com estratégias de vendas como a Black Friday. E ter um braço de growth, de cultura de testes e de dados, pode ser o seu maior diferencial durante o ano todo, e também para esse período. 

Precisa de ajuda para montar uma estratégia completa para 2023? Conte com um ecossistema de growth focado em ajudar o seu negócio a crescer.

Entre em contato com o nosso time e agende uma conversa para saber mais!

Giulia Massuco

Escrito por

Giulia Massuco

Content, Culture and Process Manager na Funnil

Postagens relacionadas